“Meu avô Pedro e o Guaraná Caçulinha”


Não sei a data certa, e de verdade sei que era um tempo frio. Eu em cima do muro da casa da Vó, ficava ali horas olhando o Largo Santa Adelaide, não tinha muito movimento, raros os carros, os passantes das manhãs/tardes de vila pacata.

Longe, entre as brumas, apontava meu avô Pedro, bengala, sobretudo cinza, chapéu.

Bruma, uma palavra que por si representa o poético, tem aura própria, esvazia o evento, enaltece seus contornos. Eram brumas, sim, neblina, daquela Vila Euclides no começo da década de 70, 1970. 

Um avô da velha guarda, um avô bem avô, vinha lento em passos, chegava da conversa do boteco, nem beber bebia, mas o boteco era o forúm disponível. Imagino que falava da política local, e mais discretamente da ditadura e das coisas do Brasil.

Tudo é imaginação, não tem de fato quem me conte o que o meu avô conversava com seus amigos, o que tenho de lembrança era o Guaraná Caçulinha da garrafa de vidro, que ele trazia caprichosamente para mim. Os goles e a sensação de carinho.

Meu avô Pedro escrevia seu diário, alguns trechos, pedaços de cadernos ainda sobreviveram ao tempo, parte na casa da minha mãe, parte na casa da minha tia. São comentários da política, esparsos, das notícias de jornal e do rádio.

Congelou na minha cabeça aquela cena de filme: uma São Bernardo envolta em neblina, bruma, o vô Pedro saindo dela, sobretudo cinza, chapéu, elegante, baixinho, magro e austero. A frugalidade do Guaraná Caçulinha.

Um ano e meio depois meu avô faleceu, a casa dos avós, o portão, o largo Santa Adelaide ainda estão lá, quase todo o cenário esta em pé, faltam o avô, o Guaraná Caçulinha da garrafa de vidro e alguma inocência.

guaranacacula

Anúncios
2 comentários
  1. Ricardo,

    Tenho lembranças vivas do meus dois avôs, cada um ao seu jeito. sua poesia me fez viajar longe,

    Arnobio

  2. Na verdade falta você, o Moleque Ricardo. Mas como não podemos retomar as pontas da vida, unindo o que foi e o que é, resta o esboço da lembrança, com seu traço grosseiro e cheio de remendos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: