“A leitura da cidade”


Manhã de frio na biblioteca.

– Leio no ônibus, moro no Alvarenga, é uma hora, às vezes mais pra chegar lá…

Lidia é operadora de telemarketing, frequenta a biblioteca pública há alguns anos, vem nos intervalos dos turnos de trabalho. Algumas vezes trás a filhinha. Fala de leitura com simplicidade.

– Eu leio até em pé no ônibus, aprendi a fixar os olhos e esquecer os sacolejos.

O ato de ler muitas vezes pode ser turbulento, ele acontece em condições adversas, em meio a precariedade das cidades, nos fluxos de transporte coletivo, no longo hiato que prolonga a jornada de trabalho.

Exercer o direito de ler não obedece à lógica do conforto, é luta, insistência, uma conquista.

– Meu sonho é trabalhar numa biblioteca como essa. Quando vai abrir concurso pra trabalhar aqui?

Lídia continua:

– Quando eu era mais nova, no Ceará, eu trabalhei numa biblioteca. Gostava de tudo, das crianças, dos livros.

Enquanto a cidade desencanta, a biblioteca pública tem seus momentos de encantamento. Por ser um espaço aberto, público, de convivência, ela pode forjar esses respiros.

A fala de Lídia publiciza esse encantamento. A leitura assume o seu papel de revelar os atalhos de resistência, as saídas. Então, o espaço de leitura cumpre seu papel primaz.

– Espero que um dia eu possa trabalhar aqui.

Nós também esperamos, tantas Lídias quantas forem. De esperança, de resistência, da leitura como um descaminho que transforma a cidade. Tudo isso só pode acontecer num espaço público, democrático e irrestrito.

Fez menos frio nessa manhã da biblioteca.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: